Sistema de classificação de materiais elastoméricos

Exemplo: 2BA610 A14 C12 L14

Embora não seja a própria especificação da peça, a tabela a seguir apresenta as letras de prefixo atribuídas ao material e o polímero a que tal prefixo normalmente se refere. Esta é a conversão equivalente aplicável em:

D-2000 et J-200 D-735 et J-14
AA—Natural, SBR, butílica, isopreno R
AK—Polissulfeto SA
BA—Etileno-propileno, SBR resistente ao calor e butílica -
BC—Cloropreno-neoprene SC
BE—Cloropreno-neoprene (dilatação e deformação por tração com óleo de flor) -
BF—Exigência de nitrilo-E14-E34 -
BG—Exigência de nitrilo-E51-E61 SB
BK—Di-haleto orgânico (tiocol) SA
CA—Etileno-propileno -
CE—Polietileno clorossulfonado (Hypalon) -
CH—Nitrilo -
DF—Poliacrílico (fita de acrilato de butilo) -
DH—Poliacrílico -
FC—SiliconeTB TB
FE—SiliconeTA TA
FK—Silicone fluorado -
GE—Silicone -
HK—Elastômeros fluorados (Viton) -

1º DESIGNADOR (2)

Número de classificação, utilizado para designar exigências complementares além da referência básica. Pode ser desenvolvido pelo seu fornecedor.

2º DESIGNADOR (B)

Indicador das exigências de resistência à temperatura na qual o polímero deve ser testado. Vide Tabela 1.

TABELA 1
EXIGÊNCIAS BÁSICAS PARA O ESTABELECIMENTO DO TIPO POR TEMPERATURA

Temperatura de teste
Tipo °C °F
A 70 158
B 100 212
C 125 257
D 150 302
E 175 347
F 200 392
G 225 437
H 250 482
J 275 527

3º DESIGNADOR (A)

Indicador do grau de resistência a óleos, medido pela dilatação de volume nos procedimentos de teste. Vide Tabela 2.

TABELA 2
EXIGÊNCIAS BÁSICAS PARA O ESTABELECIMENTO DA CLASSE POR DILATAÇÃO DE VOLUME

Classe Dilatação de volume máxima (%)
A Nenhuma exigência
B 140
C 120
D 100
E 80
F 60
G 40
H 30
J 20
K 10

 

4º DESIGNADOR (6)

Indicador da dureza exigida, tal como 60 + 5 no Shore “A”.

5º E 6º DESIGNADOR (1 e 0)

Indicador da resistência à tração necessária, como 1000 PSI, indicada em centenas de PSI.

7º DESIGNADOR

As letras de sufixo (A, C, L) indicam as exigências complementares para aplicações determinadas que estabelecem procedimentos de teste mais rígidos, além da referência básica. Vide Tabela 3.

TABELA 3
SIGNIFICADO DAS LETRAS DE SUFIXO

Letra de sufixo Teste exigido
A Resistência ao calor
B Deformação por compressão
C Resistência ao ozônio e à intempérie
D Resistência à compressão-deflexão
E Resistência a fluidos
F Resistência a baixas temperaturas
G Resistência ao rasgo
H Resistência à flexão
J Resistência à abrasão
K Adesão
L Resistência à água
M Resistência à inflamabilidade
N Resistência a impactos
P Resistência a manchas
R Resiliência
Z Qualquer exigência especial a ser detalhadamente especificada

8º DESIGNADOR

Os números de sufixo (14, 12, 14) indicam o método de teste da ASTM aplicável pelo primeiro dígito. Vide Tabela 4.

9º DESIGNADOR

Nos números de sufixo (neste caso 14 – 12 – 14), o segundo dígito indica a temperatura à qual o teste deve ser realizado. Vide Tabela 4.

TABELA 4

PARA AS LETRAS DE SUFIXO:
A-B-C-E-G-K-L
PARA A LETRA DE SUFIXO:
F
1 = 73 ºF (22,8 ºC) 4 = 0 ºF (-17,8 ºC)
2 = 100 ºF (37,8 ºC) 5 = -13 ºF (-25 ºC)
3 = 158 ºF (70 ºC) 6 = -31 ºF (-35 ºC)
4 = 212 ºF (100 ºC) 7 = -40 ºF (-40 ºC)
5 = 257 ºF (125 ºC) 8 = -58 ºF (-50 ºC)
6 = 302 ºF (150 ºC) 9 = -67 ºF (-55 ºC)
  10 = -85 ºF (-65 ºC)
  11 = -103 ºF (-75 ºC)